NEPAT_tarja_01.png

Indicação de literatura

Outubro de 2020

“Sei que isso é loucura, mas, às vezes, eu queria ter ido para Auschwitz com meus pais, pra saber o que eles passaram. Acho que me sinto culpado por minha vida ter sido mais fácil que a deles”

 

Nossa indicação de literatura do mês é “Maus: a história de um sobrevivente”, uma história em quadrinho escrita pelo autor estadunidense Art Spiegelman, em que ele narra a história do pai, Vladek, um sobrevivente de Auschwitz. Inicialmente, a história foi serializada de 1980 a 1991, e publicada como um livro em dois volumes em 1986 e 1991, devido a repercussão que alcançou. Maus é, sem dúvida, um dos quadrinhos mais famosos sobre o Holocausto e uma de suas características mais memoráveis é a representação dos personagens como animais antropomórficos. Na narrativa, os judeus são representados como ratos - uma alusão a maneira como eram recorrentemente figurados na propaganda antissemita - e os nazistas como gatos.

A maior parte da narrativa é composta pelo relato do pai. No entanto, o autor também aborda a própria vida, falando de sua infância, da relação muitas vezes complicada com o pai, da perda da mãe e do processo de escrita do quadrinho. O que fica claro é que o trauma do Holocausto perpassa também a vida do próprio Spiegelman, mesmo sendo algo que ele não viveu. É importante apontar que a narrativa de ficção tem características muito diferentes da narrativa histórica. Por isso, no que diz respeito a eventos traumáticos, a ficção pode ser um meio muito potente para falar sobre o trauma. Um dos motivos que torna Maus uma história tão marcante é que, através dos quadrinhos, o autor pode expressar com maior liberdade toda a carga sentimental do passado traumático que ainda está vivo na memória.

NOS ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube