Coordenadoras

Ana Ianeles

Mestranda na linha História e Culturas Políticas na Universidade Federal de Minas Gerais (início 2019) com pesquisa sobre a cineasta oficial da Alemanha Nazista, Leni Riefenstahl. É pesquisadora do Laboratório de História do Tempo Presente (LHTP) e fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT). É licenciada em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (2018) com extensão universitária de dois semestres na Universidade de Colônia na Alemanha (2018). Tem experiência na área de História Contemporânea com ênfase em: nazismo, totalitarismo, cinema alemão, propaganda e história das mulheres.

Anna Viana

É graduanda em História (Licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais, fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG) e integrante do Núcleo de História da UFMG do Projeto Residência Pedagógica. A partir do pré-projeto apresentado à seleção do mestrado do Programa de Pós-Graduação em História da UFMG, pretende desenvolver pesquisa sobre a obra do nazista Alfred Rosenberg. Em uma abordagem voltada para a História das Ideias, busca-se analisar o sistema de pensamento do autor e a formação das categorias de ariano e judeu em dois de seus livros.

Bárbara Deoti

Graduanda em História na modalidade de licenciatura pela Universidade Federal de Minas Gerais. É fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG) e também é estagiária no Núcleo de História do Programa Residência Pedagógica (UFMG). Tem interesse nas áreas de literatura do século XX, política e literatura, nazismo, totalitarismo e o pós Segunda Guerra Mundial.

Clara Lima

Graduanda em História (Licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais, é fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT - UFMG) e integrante do Programa de Iniciação à Docência (PIBID - UFMG). Tem interesse em desenvolver pesquisas futuras nos temas de neonazismo, ascensão autoritária e totalitarismo.

Júlia Amaral

Graduada em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (FAFICH/UFMG). Atualmente trabalha no Instituto Histórico Israelita Mineiro. Faz parte do Núcleo Anne Frank de Belo Horizonte e do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG). Desde a Iniciação Científica, trabalha com relatos da Segunda Geração de sobreviventes do Holocausto em Belo Horizonte e sua memória. Realizou programa de intercâmbio de estágio no Steven Spielberg Jewish Archive na Universidade Hebraica de Jerusalém.

Karina Rezende

Licenciada em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (2018), é mestranda na linha de História e Culturas políticas no Programa de Pós-Graduação em História da UFMG (PPGH-UFMG) com pesquisa sobre os sermões do pastor luterano Dietrich Bonhoeffer. É fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo da UFMG (NEPAT-UFMG). Seu foco de pesquisa centra-se nas relações entre religião e política na Alemanha Nazista, pensando formas de contestação e legitimação do totalitarismo a partir do discurso religioso. Tem como principais áreas de interesse a História das Religiões, História da Teologia, História do protestantismo, República de Weimar, Alemanha Nazista, resistência religiosa, totalitarismo e história do século XX.

Maria Visconti

Doutoranda em História e Culturas Políticas pela Universidade Federal de Minas Gerais (início em 2018). Mestre na linha de História e Culturas Políticas na mesma instituição (2017), onde também é licenciada em História (2014), com extensão universitária de um semestre na Universidade Friedrich-Alexander, em Erlangen-Nuremberg, Alemanha (2013). Trabalhou como membro do corpo editorial da Revista Temporalidades (UFMG) e como professora visitante da graduação em história da PUC-Minas e da pós graduação em ensino de história no IEC-PUC Minas. É fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG). Trabalhou no mestrado com o grupo de resistência ao nazismo Rosa Branca e no doutorado com as narrativas de autorrepresentação dos próprios nazistas sobre si mesmos e sobre o Terceiro Reich nos Julgamentos de Nuremberg. 

Nathálya Ferreira

Graduanda do curso de Licenciatura em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG), pesquisando sobre a relação entre a maternidade, a eugenia e a propaganda nazista durante o Terceiro Reich. Atualmente exerce a função de estagiária na Fundação João Pinheiro, atua como bolsista do núcleo de História do programa Residência Pedagógica e faz parte do projeto de extensão da revista Varia Historia, vinculada ao Departamento de Pós-Graduação em História da UFMG (PPGH-UFMG).

Sara Handeri

Graduanda em História (Licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais, é fundadora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Autoritarismo e Totalitarismo (NEPAT-UFMG) e participa como estagiária do Núcleo de História do Projeto Residência Pedagógica da UFMG. A partir do pré-projeto de mestrado submetido à seleção do Programa de Pós-Graduação em História da UFMG, pretende desenvolver pesquisa sobre a autorrepresentação de Adolf Hitler como Führer da Alemanha Nazista. Amparando-se no campo da Análise do discurso e retórica busca-se compreender dois momentos distintos dos discursos e pronunciamentos do Führer (1930-1934/1943-1945).

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon